Gripe suína H1N1 em retirada



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vê a gripe suína decaindo no hemisfério norte

Como relata atualmente a Organização Mundial da Saúde (OMS), o patógeno causador da chamada gripe suína H1N1 está em declínio no hemisfério norte. A doença, inicialmente classificada como muito perigosa, já havia atingido o pico em outubro de 2009. O número de novos casos na Europa vem caindo continuamente desde o final de outubro de 2009. Nos países onde o vírus H1N1 se espalhou mais, podem ser observadas taxas decrescentes de novos casos de gripe suína. Isso inclui países como Polônia, Áustria, Estônia, Hungria e Moldávia. O número de novos casos de gripe suína também está caindo na República Federal da Alemanha.

Segundo o Instituto Robert Koch, apenas 475 infecções foram transmitidas na segunda semana civil de 2010. Na primeira semana de 2010 ainda havia 1.088 casos e na última semana de dezembro de 2009 havia até 1233 casos. Com base nestes números, pode ser claramente demonstrado que o vírus da gripe suína foi contido.

Um total de 217.294 infecções pelo vírus da gripe suína e 189 mortes foram relatadas desde abril de 2009. O número de mortes pode ser classificado como baixo em comparação com a gripe "normal". Para comparação: em média, até 20.000 pessoas morrem de gripe anual "normal" na Alemanha todos os anos.

Na maioria dos casos, o curso da doença foi bastante inofensivo. Na Alemanha, apenas 5% da população havia sido vacinada contra a gripe suína. Com uma população estimada em 82 milhões, são cerca de 4 milhões de vacinas. (sb, 24/01/2010)

Mais informações sobre a gripe suína

Fatos sobre a gripe suína
Números conflitantes para a gripe suína

Informação do autor e fonte


Vídeo: CORONAVÍRUS vs GRIPE SUÍNA - QUAIS AS SUAS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS! - POR QUE QUARENTENA?


Artigo Anterior

Cura de dente de leão: tenha cuidado com anticoagulantes

Próximo Artigo

Amplo protesto contra a engenharia agro-genética