Aviso de falta de parteiras



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Aviso de falta de parteiras. No entanto, foi possível chegar a um acordo sobre a remuneração por partos extra-hospitalares.

(07.07.2010) Devido ao aumento significativo dos prêmios de responsabilidade profissional, poderá haver uma escassez de parteiras freelancers no futuro, alerta a Association of Midwives in Schleswig-Holstein. O pano de fundo do alerta são os prêmios extremamente aumentados de responsabilidade profissional para parteiras. Na opinião das associações de obstetrícia, os prêmios aumentados põem em risco "obstetrícia economicamente rentável". O prêmio anual aumentou quase dez vezes desde 1992. Desde 1º de julho de 2010, o prêmio aumentou novamente de 2370 para 3689 euros.

O chefe da associação de parteiras disse ao "dpa": "Algumas parteiras já interromperam a obstetrícia porque não podem pagar as altas contribuições". A situação no país seria particularmente perigosa, pois já existe uma oferta insuficiente aqui. Nas cidades onde existem centros de parto e clínicas, a falta de obstetras ainda não é perceptível.

Melhorar a remuneração das parteiras.
Em breve, as parteiras podem esperar uma melhoria na remuneração de seus serviços. Após meses de negociações com as associações de seguros de saúde, finalmente foi alcançado um acordo. A partir de 1º de julho de 2010, os obstetras receberão uma remuneração bruta de 100 euros por cada parto fora de um hospital. As parteiras devem receber oito euros adicionais por cada parto em uma clínica. As parteiras que trabalham fora de uma clínica também devem poder cobrar partos no futuro se, por exemplo, forem abortadas e continuadas em um hospital. No outono deste ano, serão realizadas negociações mais uma vez sobre como as chamadas tarifas fixas e diárias fixas para a preparação do nascimento podem ser cobradas.

O protesto dos pais e obstetras tornou possível o acordo.
Atualmente, uma parteira ganha uma média de 7,50 euros brutos por hora. Isso não é muito, e o aumento do prêmio de responsabilidade profissional agravou ainda mais a situação dos obstetras. Mas isso levou a protestos de pais e obstetras em todo o país. Numerosas demonstrações foram organizadas e listas de assinaturas distribuídas. Uma petição online também resultou em mais de 180.000 assinaturas. Muitas parteiras ainda estavam preocupadas com sua existência econômica. Os pais também temiam que não encontrariam mais obstetras porque a profissão não vale mais a pena para muitas parteiras. A saúde das crianças está, portanto, em risco. sb)

Informações do autor e da fonte


Vídeo: Parteiras Indígenas Satere Mawe numa Casa de Parto - Troca de saberes e Vivências na maternidade


Artigo Anterior

Manchas pretas na frente dos olhos geralmente são inofensivas

Próximo Artigo

Permissão de médico não médico também para pessoas cegas