O DGB exige melhor proteção à maternidade



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O DGB exige uma melhor proteção à maternidade: os padrões da Organização Internacional do Trabalho também devem se aplicar à União Europeia.

"Pedimos aos parlamentares alemães no Parlamento Europeu que usem seus votos para ajudar a melhorar a licença de maternidade: eles devem participar da convocação para prolongar a licença de maternidade de 14 para 18 semanas", disse na segunda-feira a vice-presidente da DGB Ingrid Sehrbrock na segunda-feira. Berlim, por ocasião da próxima votação no Parlamento Europeu para rever a Diretiva Proteção à Maternidade. As atuais alterações do Comitê de Emprego a uma licença de maternidade de 18 semanas são um compromisso correto e necessário que apóia a proposta da Comissão da UE.

“Se o ajuste não funcionar agora, o tópico será colocado em segundo plano. Isso é irresponsável ”, disse Ingrid Sehrbrock. Um período de proteção de 18 semanas corresponde à norma da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Genebra, em vigor desde 2000. Com esta etapa, a Europa finalmente faria o ajuste necessário a esse padrão mínimo. Essa expansão só teria impacto em alguns países europeus, já que os prazos em muitos países já são superiores a 14 semanas (por exemplo, Espanha, França). A Alemanha seria diretamente afetada e teria que aumentar seus prazos em quatro semanas. O DGB supõe que a implementação nacional desse novo padrão ocorra em conjunto com o financiamento pré-pago na Alemanha e, portanto, não resultará em deterioração financeira das mulheres.

“Em tempos de intensa controvérsia sobre mudanças demográficas, a melhoria da proteção à maternidade na Europa é um sinal claro de progresso nas leis sociais e trabalhistas na Europa, que deve estar relacionado ao fortalecimento da divisão baseada em parcerias entre tempo de trabalho e família nas famílias. A revisão da licença parental européia, realizada no ano passado, oferece ampla oportunidade para alinhar esses aspectos na implementação nacional ”, continua Ingrid Sehrbrock. O último congresso federal da DGB em maio de 2010 se posicionou claramente nesse espírito depois de iniciar discussões. (pm, 18 de outubro de 2010)

Informação do autor e fonte


Vídeo: Aula de Direito Previdenciário para o concurso do INSS


Artigo Anterior

DAK une forças com BKK Gesundheit

Próximo Artigo

Jejum: Rápido e saudável a partir de quarta-feira