Testes em humanos pela indústria farmacêutica?



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Dica do filme: As experiências humanas são realizadas pela indústria farmacêutica para maximizar o lucro?

A indústria farmacêutica sempre tem que lidar com acusações sérias - como belos estudos ou manipulação e tontura. A indústria farmacêutica está secretamente e sistematicamente testando pessoas para maximizar seus lucros? O diretor francês Thomas Vincent e seu compatriota e roteirista Eric Besnard abordaram esse tópico. A questão do poder das empresas farmacêuticas invade o emocionante thriller "O Protocolo - Toda Morte Tem Seu Preço", que tem quase dois anos e está disponível em DVD, mas que a emissora de TV ZDF / neo transmitiu ontem à noite no programa noturno.

O trabalhador rústico e solitário e florestal Raoul Kraft - interpretado por Clovis Cornillac (A insuportável leveza do ser; Asterix nos Jogos Olímpicos) - começa a pesquisar o histórico de sua morte após a morte de seu filho. Ao fazer isso, ele conhece a ativista social Diane Deltail - interpretada por Marie-Josee Croze (A invasão bárbara; eu a amava) - que rastreia possíveis testes em humanos na indústria farmacêutica que têm algo a ver com a morte de seu filho. poderia. Diane diz a Raoul que seu marido morreu durante testes de drogas na indústria farmacêutica.

Quando ele posteriormente ajuda em uma situação em que Diane é assediada por dois homens, o pai não envolvido o leva ao papel de criminoso caçado pela polícia. Isso inicia uma emocionante caçada cheia de ação que termina em um trágico final na Cúpula Mundial Wittows de 2008 em Davos.

Com o "Protocolo Le Nouveau" (título em francês), o diretor Thomas Vincent (Carnaval; Je suis un asassin) criou uma interessante mistura entre teoria da conspiração e crime nos negócios, e consegue criar uma sensação de impotência diante da abordagem adotada no filme. multinacionais farmacêuticas permanece. O final deixa o espectador, que sempre foi convencido da naturopatia e da corrupção das corporações multinacionais, bem como o principal protagonista Raoul, bastante desamparado e desamparado, mas com a confirmação satisfeita da sempre estimada noção "eu sabia". faça experimentos com pessoas! ". (tf, 8 de dezembro de 2010)

Leia também:
Manipulação e tontura na indústria farmacêutica?

Crédito da foto: Ernst Rose / pixelio.de

Informação do autor e fonte



Vídeo: OS PIORES TESTES EM HUMANOS Ep. 2


Artigo Anterior

Cadáver de bebê desapareceu na clínica Herner

Próximo Artigo

Cuidado com latas