Não é mais uma doença mental tabu



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Não é mais uma doença mental tabu

Annelie Buntenbach, membro do conselho da DGB, disse na quarta-feira, 28 de abril, no “Dia Mundial da Segurança no Trabalho” em Berlim: “O estresse psicológico no mundo do trabalho atingiu proporções alarmantes e não pode mais ser tabu por empregadores e políticos. O absenteísmo devido a doenças mentais aumentou 12% em relação ao ano anterior e, desde 1999, o aumento foi de 80%. Além dos sofrimentos das pessoas afetadas e de suas famílias, as doenças mentais também causam altos custos para o seguro social e as empresas. Somente o seguro de saúde estatutário está sujeito a custos diretos de cerca de 17 bilhões de euros devido a doenças relacionadas ao trabalho. Em toda a UE, o custo dos riscos psicossociais é estimado em 265 bilhões de euros por ano.

O aumento dramático das doenças mentais deve-se principalmente ao aumento da pressão do tempo, do estresse e das más condições de trabalho, especialmente em trabalhos precários. Por isso, exortamos o governo federal a finalmente parar a proliferação de empregos precários e a melhorar a compatibilidade do trabalho e da família. As organizações de empregadores são incentivadas a incluir a saúde mental dos trabalhadores na estratégia de saúde e segurança ocupacional, para que o problema não seja mais um tabu nas empresas. "(Pm)

Informação do autor e fonte


Vídeo: O que cura o Transtorno Mental é a Simplificação Mental, sem Rótulos e Carmas!


Comentários:

  1. Alonzo

    Nele algo está.Obrigado pela ajuda nesta pergunta, como posso agradecer?

  2. Joben

    Eu concordo, esse pensamento brilhante virá no lugar certo.

  3. Patli

    Unequivocally, excellent message

  4. Wazir

    Que palavras adequadas... a ideia fenomenal e magnífica

  5. Coigleach

    Na minha opinião, é uma pergunta interessante, participarei da discussão. Eu sei que juntos podemos chegar a uma resposta certa.

  6. Raulo

    Antes eu pensava diferente, obrigado pela ajuda nesta questão.

  7. Berinhard

    Concordo com tudo o que foi dito acima.



Escreve uma mensagem


Artigo Anterior

Maria Bessel, Prática para Naturopatia

Próximo Artigo

28 substâncias proibidas em medicamentos de marca