Nova vacina contra o HIV em pesquisas sobre AIDS



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Pesquisadores espanhóis estão desenvolvendo vacina contra o HIV

Pesquisadores espanhóis ganharam uma etapa na luta contra a doença de imunodeficiência anteriormente incurável AIDS. Uma vacina bem tolerada contra o HIV pode prevenir o aparecimento da doença no futuro e substituir a terapia por medicamentos anti-retrovirais. No entanto, os cientistas enfatizam que a vacina contra o HIV não pode ser vista como uma cura para a AIDS. No entanto, aumenta a esperança de um método terapêutico mais eficaz para a imunodeficiência.

Terapia anterior para o HIV com fortes efeitos colaterais Se uma infecção pelo HIV não for tratada, o sistema imunológico da pessoa afetada é tão gravemente danificado que a doença progride para a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). Esta fase da doença é caracterizada principalmente pelo aparecimento das chamadas infecções oportunistas e tumores malignos com risco de vida. O chamado vírus da imunodeficiência humana (HIV) é transmitido através do contato com fluidos corporais, sangue, esperma, secreções vaginais, leite materno e líquido cefalorraquidiano.

Os medicamentos anti-retrovirais têm sido utilizados com sucesso para o HIV e a AIDS há algum tempo, de modo que a expectativa de vida das pessoas afetadas aumentou significativamente hoje. Embora a combinação de diferentes ingredientes ativos geralmente signifique que o vírus não é mais detectável no sangue dos doentes, o medicamento não cura. No entanto, eles impedem que o vírus se multiplique e, portanto, devem ser tomados por toda a vida. Os efeitos colaterais da terapia antirretroviral (TARV) diferem individualmente. Eles geralmente ocorrem apenas no início do tratamento, mas em alguns casos têm sérias conseqüências para a saúde, como relata o German AIDS Aid.

Vacina contra o HIV pode prevenir surto de Aids A nova vacina contra o HIV, desenvolvida por uma equipe de pesquisa espanhola liderada por Felipe Garcia da Universidade de Barcelona, ​​está agora levantando novas esperanças de uma opção de terapia mais tolerada e eficaz para a doença de imunodeficiência. Diz-se que a vacina contra o HIV fortalece o sistema imunológico das pessoas afetadas e previne a infecção dos glóbulos brancos.

“Quando os vírus HI entram no corpo, o sistema imunológico reage, no qual os fagócitos (coloquialmente conhecidos como fagócitos) quebram o vírus e o dividem em pequenas partes. Os minúsculos fragmentos de HIV entram nas membranas das células dendríticas do sistema imunológico. Se os fragmentos infecciosos estiverem na membrana celular externa das células dendríticas, eles podem infectar os linfócitos, que são glóbulos brancos. Eles morrem em vez de iniciar uma resposta imune como em um estado saudável. ” A nova vacina contra o HIV tem como objetivo impedir esse processo, como escrevem os pesquisadores na revista científica Science Translational Medicine.

Vacina contra o HIV desperta a defesa imunológica do corpo humano No decorrer do estudo espanhol, as células dendríticas de 36 pacientes com vírus HI foram desativadas pelo aquecimento. Posteriormente, essas células dendríticas foram administradas aos sujeitos do teste como uma vacina. Como os vírus HI não estavam mais ativos, eles não podiam mais infectar os glóbulos brancos, de modo que a resposta imune foi iniciada como de costume.

Conforme relatam os pesquisadores, a vacina contra o HIV fez com que o sistema imunológico respondesse ao vírus HI com uma resposta imune clara. Com uma resposta imune mais forte, a multiplicação dos patógenos foi suprimida ainda mais. Após doze semanas de uso, os pesquisadores conseguiram determinar o maior efeito da vacina contra o HIV. 48 semanas após o início da terapia, a resposta imune dos indivíduos em teste ainda era significativamente melhor do que a do grupo controle, que recebeu placebo. No entanto, a eficácia da vacina contra o HIV diminuiu significativamente em comparação com a décima segunda semana até o final do período do estudo.

A vacina contra o HIV não é uma cura para a AIDS Os pesquisadores enfatizam que, apesar dos resultados positivos do estudo, a vacina contra o HIV não é de forma alguma uma nova cura para a AIDS. "Essa prova de viabilidade apóia pesquisas adicionais sobre novos meios e / ou estratégias de vacinação aprimoradas com o objetivo final de encontrar uma alternativa funcional para a terapia anti-retroviral", escrevem os pesquisadores.

Embora ainda não se saiba o quão forte deve ser a resposta imune ao vírus HI para destruir todos os vírus, o novo método mostra que a quantidade de vírus no plasma sanguíneo dos indivíduos em teste pode ser significativamente reduzida mesmo sem terapia anti-retroviral. (sB)

Leia:
Por que alguns não têm AIDS apesar do HIV
AIDS: 17 anticorpos contra vírus HI descobertos
ONU alerta para rápida disseminação da AIDS
AIDS: o vírus da SI é considerado um precursor do HIV
Por que alguns não têm AIDS apesar do HIV

Informações sobre o autor e a fonte



Vídeo: Pesquisadores anunciam segundo caso de remissão do vírus da AIDS - Jornal da Vida - 05032019


Comentários:

  1. Nikora

    Uma opção interessante

  2. Hume

    Eu me registrei especialmente no fórum para agradecer pela informação, talvez eu também possa ajudá-lo em algo?

  3. Zaim

    I beg your pardon, that doesn't suit me at all.

  4. Hagaward

    Muito boa pergunta

  5. Dan

    Devemos dar uma olhada!!!

  6. Shagami

    Sim pensamento abstrato



Escreve uma mensagem


Artigo Anterior

Milhões de alemães têm um problema de dependência

Próximo Artigo

Engenharia genética comprovada em mel