Relatório da Unicef: Mais e mais jovens mortos por AIDS



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Nos países pobres, mais e mais jovens vítimas de Aids
01.12.2013
O Unicef ​​alerta: cada vez mais jovens estão morrendo de aids, principalmente nos países mais pobres. Havia 110.000 somente no ano passado. Com mais dinheiro, a organização de bem-estar infantil poderia reduzir a taxa de mortalidade.

Aumento de mais de 50% Especialmente nos países mais pobres, uma infecção pelo HIV é fatal para um número crescente de jovens. Este é o resultado de um relatório da organização de ajuda infantil da ONU Unicef. A taxa de mortalidade aumentou dramaticamente nos últimos anos. Segundo a informação, 71.000 adolescentes morreram nos países mais pobres em 2005, em comparação com 110.000 no ano passado. Isso corresponde a um aumento de quase 55%. As Nações Unidas definem os jovens entre 10 e 19 anos. Cerca de 2,1 milhões deles deveriam ter vivido com a doença em 2012.

UNICEF pede mais dinheiro De acordo com os trabalhadores humanitários da ONU, o problema poderia ser combatido de forma eficaz com mais dinheiro. Por exemplo, um pacote de programas no valor de US $ 5,5 bilhões (cerca de 4 bilhões de euros) poderia impedir a infecção de dois milhões de jovens até 2020. Em 2010, o orçamento era de US $ 3,8 bilhões.

50.000 assinaturas entregues em Berlim na Alemanha também são obrigadas a fazer mais. Na sexta-feira em Berlim, uma coalizão de várias iniciativas pediu ao chanceler pelo menos o dobro da contribuição alemã para o fundo global de combate à Aids, tuberculose e malária. Atualmente, a Alemanha deposita cerca de 200 milhões de euros por ano. Como disse um porta-voz da "Aliança de Ação contra a Aids", as conversações na Chancelaria foram positivas após a entrega de 50.000 assinaturas. Desde 2002, o fundo fornece medicamentos contra a Aids para tratar 5,3 milhões de pessoas.

Transmissão de mães para filhos reduziu significativamente Segundo o Unicef, grande sucesso foi alcançado em crianças. A transmissão da doença de mães para filhos foi significativamente reduzida. No ano passado, 260.000 crianças ainda estavam infectadas pelo HIV, mas sete anos antes, o número era de 540.000, mais do que o dobro.

As crianças devem ser as primeiras a se beneficiar do sucesso Um terço das crianças infectadas morreria sem tratamento antes do primeiro aniversário e metade não teria o segundo. “As crianças precisam ser as primeiras a se beneficiar do nosso sucesso no combate ao HIV. E eles devem ser os últimos a sofrer com o nosso fracasso ”, disse o diretor do Unicef, Anthony Lake. "Hoje, o filho de uma mulher grávida infectada não precisa mais sofrer o mesmo destino".

O número de crianças doentes na África caiu Na parte mais afetada do mundo, na África, o número de crianças doentes caiu significativamente em muitos países, segundo o Unicef. Por exemplo, no Gana, 76% ou na Namíbia, 58%. Mas nos países mais pobres, apenas cerca de um terço das crianças recebem o tratamento de que precisam. Por outro lado, existem quase dois terços dos adultos. Problemas adicionais também podem surgir no futuro após a descoberta de um novo patógeno do HIV na África Ocidental. Por exemplo, cientistas da Guiné-Bissau, na África Ocidental, descobriram um novo patógeno do HIV que, segundo se diz, leva a uma AIDS mais rápida. Como relatou a emissora “Voice of America”, referindo-se a dados da Universidade Sueca de Lund, demorou em média seis anos desde o momento da infecção até o surto de AIDS nas cepas de HIV que até então eram predominantes lá. O novo excitador A3 / O2 é um ano mais rápido, em média.

78.000 pessoas na Alemanha vivem com HIV. Os programas de prevenção da Aids devem visar os jovens de maneira mais eficaz, de acordo com a Fundação Mundial da População, em Hannover. Sua diretora administrativa, Renate Bähr, disse: "Os números atuais mostram que mais jovens precisam de acesso à educação e à contracepção." As meninas, em particular, correm alto risco de contrair o HIV. No final de 2012, cerca de 78.000 pessoas com HIV viviam na Alemanha, incluindo cerca de 200 crianças e adolescentes até 15 anos de idade. Cerca de 550 pessoas morreram na Alemanha no ano passado devido às conseqüências da AIDS. (de Anúncios)

Imagem: Gerd Altmann / pixelio.de

Informação do autor e fonte



Vídeo: Menina que havia sido enterrada à 145 anos foi encontrada durante reforme de casa.


Artigo Anterior

Muitas mulheres também roncam

Próximo Artigo

Greve de alerta na clínica HELIOS